Será que isso vai gerar os resultados desejados que procuro?

Na busca das conquistas de nossas vidas, sejam estas bem planejadas e objetivadas, ou simplesmente “procuradas de passagem”, sempre temos algumas dúvidas com relação aos métodos e ações que estamos utilizando para conseguí-las, seja pela falta de resultados desejados, ou pelo desejo de maiores performances.

brain-color-colorful-19677

No meu dia a dia, lido com profissionais que buscam melhores resultados em suas carreiras e negócios, e não tão raro, chegam a mim em busca de outra “tentativa” para conquistarem este objetivo que não conseguiram até então.

Continue lendo “Será que isso vai gerar os resultados desejados que procuro?”

É preciso mudar o foco da audiência para realçar a marca pessoal

Há poucas semanas atrás na casa de um casal amigo quando terminamos de assistir um vídeo de um palestrante que falava sobre pessoas boas e pessoas más, iniciamos um debate sobre se de fato, no mundo atual existiriam mais pessoas do bem ou mais pessoas do mal. Logo chegamos a um consenso de que hoje há muito mais pessoas boas do que ruins, para isso bastar analisarmos ao nosso redor e verificarmos que não temos tantas pessoas consideradas ruins no nosso convívio.

Ceu e Inferno

Mas diante desta constatação logo surgiu um novo debate. Se é verdade que existem mais pessoas do bem no mundo, porque este mundo não está tão bom como gostaríamos. Entre diversas respostas uma soou como conclusiva, o problemas é que apesar de haver muito mais pessoas do bem, estas não praticam com assiduidade o bem. E isso não que dizer que elas praticam o mal, mais a audiência delas é focada em outras frequências que não a deste bem que gostaríamos de ver.

Quantas pessoas que você considera como boas, externa constantemente gestos ou ações que revelem algo de grandioso, algo digno de representar uma referência para um mundo melhor? Existem eu sei, mas são poucas, muito poucas, não é?

Continue lendo “É preciso mudar o foco da audiência para realçar a marca pessoal”

A teoria dos setênios – Os ciclos da vida a cada 7 anos

Rudolt Steiner (filósofo e educador húngaro/austríaco  1861-1825) foi o desenvolvedor da antroposofia, que nada mais é do que uma linha de pensamento que estabelece uma “pedagogia do viver”. Esta ciência parte do princípio de que o ser humano  tem que conhecer a si para poder assim conhecer o universo, pois todos fazem parte integrante de um sistema.

Neste estudo encontra-se uma forma cíclica de entender a vida chamada “Teoria do Setênios”, que foi elaborada a partir da observação dos ritmos da natureza aliados ao sentidos da vida. Tal teoria divide a vida em fases de sete anos. Por isso o nome “Setênios”.

th

Continue lendo “A teoria dos setênios – Os ciclos da vida a cada 7 anos”

As cinco lições da liderança

lideranca

O assunto liderança é muito dinâmico e exige permanentes atualizações. Um dos grandes desafios dos novos líderes, é manter um bom convívio com seus liderados e ao mesmo tempo administrar a pressão da busca pelos resultados esperados, que muitas vezes geram desconfortos e atritos na equipe e consequentemente, nesta relação.

No meu papel de líder de equipe já há alguns anos, e agora atuando diretamente como “aconselhador e direcionador” de alguns profissionais desta posição, percebo mais claramente o quão difícil é esta missão. Assim resolvi voltar outra vez a este tema para jogar um pouco mais de luz nesta atividade de vital importância para as organizações.

Continue lendo “As cinco lições da liderança”