Empatia, a chave da liderança

Está liderando? Seu papel é criar cultura! Se você lidera um grupo de pessoas ou é o gestor de uma empresa, precisa desenvolver sua liderança.

E para liderar de forma eficiente, a coisa mais importante que você precisa fazer é definir com clareza a cultura e os valores da sua organização. A cultura é o sistema operacional através das quais as decisões são tomadas nos grupos e nas empresas. Ela também é essencial para recrutar e reter novos membros no time, por isso ela deve ser a maior preocupação do líder.

thOVK9P7I0

Você precisa ter o time do seu lado, mas não vai conseguir tê-los se escondendo atrás de um computador ou de planilhas. Você precisa estar lá e fazer parte, sempre próximo das pessoas, você precisa motivar e estar presente o tempo todo.

Números provam que muitas pessoas permanecem em empresas apenas por motivos como sustento da família e inseguranças com relação a encontrar um outro emprego. Você não pode deixar que isso aconteça na sua empresa! Por isso, o ambiente de trabalho é tudo. Se ele encoraja e empodera as pessoas, elas ficam nos seus empregos não para sobreviver, mas sim para prosperar.

Para liderar efetivamente, é essencial que você seja capaz de se importar com seus liderados e querer que eles estejam sempre bem. Você tem que ter um senso de responsabilidade em relação a eles.

Nosso sentimento de responsabilidade vem da empatia, da nossa capacidade de nos colocar no lugar de outra pessoa. Sem empatia, nos distanciamos dos nossos liderados e podemos tomar decisões que os prejudicam, especialmente se tornamos nosso relacionamento mais abstrato.

Quando essa abstração acontece, começamos a priorizar nossos próprios interesses em detrimento dos de outras pessoas, o que pode nos levar a tomar decisões à custa dos outros e, assim, machucar a cultura da organização.

Fazer parte de um grupo nos oferece um sentimento de segurança e a oportunidade de evoluirmos como pessoas. Da mesma forma, sentir-se sozinho e ameaçado acaba nos tornando egoístas e nos faz perder nossa empatia. Quanto mais distantes estamos dos nossos liderados, mais somos propensos a desumanizar as pessoas e vê-las como engrenagens de uma máquina.

O certo é sempre tratá-las como indivíduos que vivem, respiram, pensam e têm vontades e necessidades próprias, nunca deixando esta mecanização ocorrer. Quando as pessoas sabem que seus líderes estão preocupados em protegê-las, elas podem trabalhar mais duro e concentradas, sem se preocupar com ameaças externas.

Trate seus funcionários com respeito e dignidade e você verá resultados em cada dimensão da sua vida e do seu negócio. Muitos pensam que os lideres existem para serem servidos, mas a grande verdade é que os líderes existem para servir. Pense nisso!!!!!

* Artigo inspirado do livro: Leaders Eat Last by Simon Sinek

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *