A importância do comportamento para convencer e influenciar

O que há de comum naquelas pessoas que conseguem sucesso em suas determinadas áreas?

Que habilidades, características, possibilitou-lhes este sucesso?

Simplesmente a capacidade de vender.

Estas pessoas foram acima de tudo grandes vendedores de suas ideias. Na verdade, seja qual for o produto vendido, tudo que vendemos são ideias, informações, conceitos.

Isto é que define o valor de qualquer produto.

Imagine alguém com uma ideia genial sobre uma droga que pode curar uma grave doença. Se não souber vendê-la para alguém que financie as pesquisas, laboratórios, equipamentos e a contratação dos pesquisadores assistente não poderá dar sequência a sua descoberta.

Você, por exemplo, pode ter sido o aluno mais dedicado, conhecer e dominar plenamente os aspectos principais de sua profissão e não saber vender os seus conhecimentos, competências ou capacidade do trabalho.

Quantas vezes ouvimos alguém se referir algum ex-colega de escola que não possuía maiores qualificações e que mesmo assim saiu-se muito melhor na carreira profissional que outros aparentemente mais competente e preparados, como aquele aluno brilhante sempre com as melhores notas…. Mas que na vida real não venceu.

Por que isso acontece? – Por pelo menos três motivos.

1.      Conhecer as fases ou ser capaz de descrever um processo, como as técnicas empregadas na engenharia ou medicina, por exemplo, não significa saber fazer. Significa apenas isso, conhecer o método, a técnica o processo.

2.      Saber fazer não significa, querer fazer. Há milhares de pessoas que tiveram todas as oportunidades para aprender a conhecer e a saber, e que mesmo assim não se sentem estimuladas a fazer.

3.      E por último, muitos dos que conhecem as técnicas e sabem como fazer, não são capazes de trabalhar com as pessoas. E capacidade para relacionar-se a trabalhar com os outros é verdadeiramente essencial.

Ainda que se queira negar, todo nosso comportamento social pode ser resumido na tentativa de influenciar, convencer ou modificar o comportamento dos outros.

Logo, em qualquer atividade terá sempre maiores chances e eventualmente alcançará êxito aquele que for mais capaz de conseguir influenciar, convencer e modificar de maneira produtiva e intencional.

Isto é vender. Vender valores, ideias, competências, respeito, admiração, aceitação, capacidade como o bom produto para o mercado, para criar uma marca pessoal forte.

Infelizmente, via de regra, nas formações acadêmicas/profissionais pouco tempo é dedicado a este assunto. E ainda hoje há muita gente que franze o cenho para estes assuntos.

Mesmo muito dos bons cursos universitários são destinados apenas a fazer com que sejamos capazes de descrever processos.

Quase nunca explicam que, além da formação profissional, é necessário conhecer os métodos para nos posicionarmos no mercado e poucos estimulam e nos preparam para conviver plena e realizadamente com outras pessoas, trabalhar em equipes e a desenvolver uma competição pró-ativa.

Isto é, esquecem apenas o fundamental.

Não são poucos os que quando decidem partir para investir em si mesmo para evoluirem profissionalmente, direcionam todo foco na busca de competências técnicas, quando na verdade o diferencial está no domínio das competências comportamentais.

Um investimento no brilho da sua marca pessoal, fortalece a sua “venda” como um produto de valor para o mercado, sendo capaz de influenciar todo público que atinge, a seu favor.

Mas para isso o domínio das habilidades de um posicionamento adequado, ao ponto de externar suas melhores virtudes e talentos, são a chave para a conquista deste objetivo de destaque.

Por isso se o seu objetivo é influência e convencer o seu público do seu valor, invista nos seus comportamentos para alinhá-los e sintonizá-los ao ponto de criar uma verdadeira torcida ao seu favor.

São estes comportamentos que colocam suas habilidades e talentos nas melhores posições e que transforam o produto chamado VOCÊ em algo de bastante valor.

Comentários no Facebook